segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Gruta Nossa Sra. de Lourdes da 3ª Légua - Caxias do Sul - RS

Caxias do Sul se ressente por achar que não possui tanta atratividade turística quanto as cidades-irmãs da região da serra gaúcha, como Bento Gonçalves, Canela e Gramado. A necessidade de organização do setor vem sendo percebida nas ultimas ações, tanto do governo municipal como dos empreendimentos e prestadores de serviços turísticos, para discutir e preparar a cidade para o Turismo e fazer frente à crise industrial que já desempregou mais de doze mil trabalhadores nos últimos dois anos. Querer trabalhar o turismo em épocas de alternatividade econômica, muitas vezes como tábua de salvação, é bastante comum nas cidades que veem minguar suas arrecadações. 

Se Caxias quer atrair mais turistas de lazer, não seria justo  disponibilizar no mercado o mesmo tipo de atrativo que outras cidades da região já atuam. Embora esteja na microrregião da Uva e do Vinho, dentre os vários arranjos que possam ser desenvolvidos, o Turismo Religioso pode ser um filão melhor explorado. Além da conhecida Romaria de Caravaggio, considerado Patrimônio Imaterial do município desde junho de 2016, e que mobiliza mais 180 mil fiéis, há o recém roteiro turístico CaminhoPadre João Schiavo, criado por meio da Lei 8.127, em setembro de 2016.  Já que o peregrino antecede o turista, e que o espírito religioso dificilmente largará da condição humana, talvez uma ação mais enfática dos empreendedores do ramo favoreça o aumento das chances de sucesso e consolidação deste segmento. 

No ultimo domingo, 13 de novembro, Dia Mundial da Gentileza e um calor de 30º na moleira, tive a oportunidade de visitar a Gruta Nossa Sra. de Lourdes da 3ª Légua, localizada no bairro de Galópolis na cidade de Caxias do Sul. O acesso a ela pode ser feita pela Estrada do Imigrante, ou a por uma estrada de chão que tem inicio na BR 116, no sentido  Caxias do Sul – Nova Petrópolis, conforme mapa logo abaixo.


Logo que entra na estrada começa uma subida e um sentimento inicial de inserção no cotidiano dos que ali vivem. O horizonte irregular  já apresenta os vales, imensos parreirais protegidos por roseiras e, ao longo da estrada, vinícolas e cantinas.


Na entrada há um pórtico, seguido de garagem e um salão paroquial. A direita há o acesso a Gruta e lá com avisos aos visitantes. Entre as orientações está o não uso de bebidas alcoólicas e cuidados com o risco de morte, na trilha que dá acesso a cachoeira mais abaixo, e nas práticas de rapel, já que há muitas inclinações negativas na pedreira sendo um prato cheio para a prática.

A sensação mística de estar lá começar ao ver toneladas de pedra acima da sua cabeça e no vão que compreende todo o lugar de rito sagrado. Há um ambiente para ex-votos e cultos sincréticos afro-umbandisticos. Para ir a cachoeira, pelo que vi, há três acessos para trilhas de leve a médio esforço. Ao chegar lá avistas uma impressionante queda d’água de mais ou menos 50 metros de altura. Como fui sem trajes de banho, apenas parei um pouco para contemplar e registrar fotograficamente o momento.  Algumas imagens logo abaixo, não deixe de visitar quando puder!














 


Dicas para audição:

Postar um comentário