domingo, 24 de outubro de 2010

G.E.A - Grupo Excursionista Alagoano

Surge em Alagoas o Grupo Excursionista Alagoano
Durante um encontro inusitado entre dois apaixonados por cavernas, nasce à idéia de criação de um novo grupo de Espeleologia no Estado de Alagoas, NE - do Brasil. O G.E.A, grupo excursionista alagoano, que destina-se a prática tanto da Espeleologia como de outras ciências correlatas, como por exemplo a Geologia, Geomorfologia, Geografia e Turismo. Está última sendo praticada num cenário de base local, perpassando pelo chamado Geoturismo, um segmento ainda recente no Brasil, constituindo-se num turismo de base geológica e cientifica.
No passado, Alagoas já contou com dois grupos que tinham por objetivo maior a prática da espeleologia, o CEA - Centro Espeleológico de Alagoas e o grupo Expedições, este último sendo constituído na sua maioria por estudantes universitários. Ambos passaram por problemas de ordem estrutural e foram desativados. Agora, em pleno século XXI, surge com uma proposta diferenciada o grupo excursionista alagoano, sociedade civil sem fins lucrativos fundado em 01 de Outubro de 2010 por período indeterminado, com sede na Rua Drª Dayse Lins Brêda, Nº 34 Maceió / AL. O grupo, congrega vários profissionais interessados na conservação da natureza e particularmente nas pesquisas nas áreas mencionadas acima, destinando-se à prática de excursões, atividades científicas e culturais direta ou indiretamente relacionadas às áreas do conhecimento já  citadas. 
Atualmente a espeleologia no Brasil, está no mesmo nível do que se faz em termos práticos nos outros países mais desenvolvidos, embora seja praticada em menor volume. Hoje há muitos grupos profissionais praticantes de espeleologia no Brasil, como exemplo, podemos citar os mais conhecidos, o grupo Bambuí de Pesquisas Espeleológicas, de Belo Horizonte, o grupo Pierre Martin de Espeleologia e a União Paulista de Espeleologia, em São Paulo, o grupo GEEP-Açungui de Estudos Espeleológicos do Paraná, o grupo Paraíba de Espeleologia, o grupo Terra de Espeleologia de Sergipe, a Sociedade Espeleológica Potiguar e a Sociedade para a Pesquisa e Desenvolvimento Ambiental do Rio Grande do Norte, SEPARN. 
Hoje, a preocupação com a preservação das cavernas e de seu entorno também tem merecido crescente atenção nos últimos anos. Planos de manejo para ambientes espeleológicos foram produzidos. Normas específicas versando sobre patrimônio espeleológicos foram aprovadas, como a inclusão das cavernas como bem da União na Constituição Federal. Além de vários projetos hoje em tramitação. No ano de 1997 foi fundado, no âmbito do IBAMA, o Centro Nacional de Proteção, Manejo e Estudos de Cavernas (CECAV), órgão este voltado à proteção das cavernas brasileiras, assim como a SBE, Sociedade Brasileira de Espeleologia. 
Além dos órgãos oficiais e dos grupos de espeleologia, podemos também nos guiar pelas normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas, sendo as normas NBR 15399 e NBR 15503, as normas que regulamentam as atividades de Espeleoturismo, atividade também recente no Brasil e que foram implantadas pelo Ministério do Turismo e pela ABETA - Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura.  
Para aqueles que gostariam de praticar a espeleologia e entender um pouco mais sobre está ciência-esporte, a maneira mais simples é contatar um grupo espeleológico local, ou então, procurar a Sociedade Brasileira de Espeleologia, SBE, com sede em Campinas / SP.  
Caso seja de Alagoas e tenha interesse em se associar ao grupo alagoano, por favor, escreva para d_amorim@oi.com.br ou mauricio_aquino@hotmail.com, respectivamente David Amorim e Mauricio Aquino, sócios responsáveis pelo grupo G.E.A.