sábado, 28 de fevereiro de 2009

SERRA DE TANQUE D´ARCA / AL - David Amorin

Aos poucos o Estado de Alagoas desperta para outras formas de turismo. Embora conhecido nacionalmente por suas belas praias, o Estado tenta interiorizar o turismo, atualmente o Estado de Alagoas esta dividido em oito regiões de planejamento turístico, tendo cada uma delas particularidades inerentes à região, portanto, são consideradas regiões turísticas os Canyons do São Francisco, a foz do São Francisco, o chamado celeiro das tradições regionais, a costa dos corais, a região das lagoas, a região dos quilombos, a região metropolitana e por fim a região do sertão alagoano. Pertencendo a região das tradições regionais, localizado na Mesorregião do Agreste Alagoano e na Microrregião Geográfica de Palmeira dos índios o bucólico município de Tanque d´Arca apresenta-se como um atrativo para o desenvolvimento do chamado Turismo Sertanejo ou ainda para o educativo Geoturismo.
Como principal atrativo para essas segmentações do turismo sustentável encontramos no município de Tanque d´Arca um relevo bastante interessante, geologicamente situando-se no complexo migmatítico que compõe o embasamento do Maciço Pernambuco-Alagoas. De acordo com o conhecido geógrafo alagoano Ivan Fernandes Lima, a serra de Tanque d´Arca e o município de Tanque d´Arca, estão inseridos sobre o chamado patamar cristalino dos 500 metros de altitude, no contato com o pediplano do Baixo São Francisco, através de escarpa estrutural. A serra apresenta uma altitude de 589 metros e esta localizada pela coordenada geográfica: 09°32’13.5” lat. S, 036°26’53.4” long. W.

Na serra de Tanque d´Arca alguns esportes de aventura poderiam ser incentivados como: o Hiking ,caminhada de um dia, caracterizando-se como de curta duração, ou ainda o Mountain Bike , percurso em vias não convencionais em bicicletas adaptadas, também denominada de cicloturismo, além do rapel,este caracterizado por técnica vertical de descida em corda apropriada para tal. Outra atividade interessante para a serra seria a escalada, ascensão de montanhas, serras, paredes artificiais, blocos rochosos utilizando técnicas verticais, por último uma boa pedida seria a cavalgada, turismo que abrange atividades que envolvam a interação do homem com eqüinos (cavalo, jumento, burro, e outros) para desempenho em ambientes naturais ou para lazer e esportes de aventura.
Hoje, apesar da pequena distância de cerca de 120 km da capital, Maceió, os principais visitantes da serra de Tanque d´Arca são, na sua grande parte estudantes secundaristas do interior do Estado, além de universitários dos cursos de geografia e turismo, este último em menor número. Todavia, precisa- se turistificar a serra e o município como um todo, e o que chamamos de “turistificação”, é o (re) ordenamento ou a (re) adequação espacial em função do interesse turístico, dessa forma, visa-se o incremento da economia local, devendo ser aproveitado em toda a sua cadeia, cabendo ao poder público e ao empresariado, se for o caso, dotar a região de infra-estrutura física, visual e social, para que a atividade seja explorada de forma organizada.
David Christopher Muniz de Amorim - Turismólogo e Especialista em Geografia: Análise Ambiental - UFAL
E-mail: d_amorim@oi.com.br

Nenhum comentário: